Nas últimas décadas foi feito em Portugal um grande investimento na divulgação de Ciência e Tecnologia, tendo a Agência Nacional Ciência Viva um papel central na promoção de cultura científica, através da aproximação dos cientistas à população. Neste contexto, a criação da Rede de Centros Ciência Viva tem sido fundamental na proximidade estabelecida com as diversas comunidades onde se inserem, permitindo um maior e mais direto contacto com a Ciência. Nos Centros Ciência Viva, os ambientes são especialmente concebidos para desafiarem o visitante a participar ativamente no processo de aprendizagem, o que os transforma em espaços singulares, diversificados, onde é fortemente estimulada a interatividade, aumentando o interesse, a curiosidade, a motivação dos visitantes e, consequentemente, a aprendizagem em ciências.

Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra - 25 anos a EXPLORAR CIÊNCIA

Localizado em Coimbra, num complexo de dois edifícios com uma área total superior a 3400m2, o Exploratório assume-se como uma entidade de promoção de cultura científica para a Região Centro e para o país. Com duas décadas e meia de existência foi, em 1995, o primeiro centro de ciência a ser criado em Portugal, integrando a Rede de Centros Ciência Viva desde a sua criação, em 1998, que hoje conta com 21 unidades em todo o país.

O Exploratório é uma associação privada sem fins lucrativos, que no ano 2000 foi declarada instituição de utilidade pública. Após as últimas duas décadas e meia de atuação ao serviço da comunidade regional, o Exploratório assume neste momento uma fase fundamental, marcada pelo alargamento do âmbito de atuação a públicos diferenciados e por uma escala de funcionamento ampliada. O objetivo é o de manter e reforçar o papel do Exploratório enquanto centro de ciência de referência a nível nacional e internacional, onde a inovação e a gestão sustentável se assumem como principais pilares da instituição, contribuindo desta forma para o fortalecimento da Rede de Centros Ciência Viva.

O ano de 2015 apresentou-se como um importante momento de viragem a que continuamos a dar rumo: pela inauguração do novo pavilhão com uma nova exposição e um novo sistema de projeção hemisférica a 360º e pela requalificação dos espaços já existentes anteriormente com novas unidades temáticas expositivas. Por outro lado, estando integrado na Rede de Centros Ciência Viva e gozando de uma relação privilegiada com a Universidade de Coimbra, com os diversos centros de investigação associados e com as demais instituições de ensino superior da cidade, o Exploratório tem firmado a sua atuação num conjunto de parcerias locais e regionais que o transformaram numa entidade de divulgação científica ao serviço da Região Centro, promovendo a literacia científica em todas as faixas etárias, para as diversas camadas sociais e em diferentes espaços territoriais. É neste sentido que surgem os paradigmas sobre os quais assenta a atuação do Exploratório:

Há Ciência para todos: Considera-se que a Ciência deve estar ao dispor de todos, pelo que se aposta numa programação diferenciada para várias tipologias de público. Se até aqui o público escolar representava a grande maioria dos visitantes do Exploratório, agora, pretende-se reforçar e ampliar o espectro às famílias, aos jovens, aos adultos e seniores, às crianças e aos turistas. A programação de ações e atividades concebidas, direcionadas e realizadas para públicos específicos é uma das principais abordagens do Exploratório para aproximar a Ciência do maior número de pessoas possível.

Levar a Ciência a todos: O Centro Ciência Viva de Coimbra é o local por excelência onde se encontram um conjunto de programas, atividades e ações direcionadas a diversos públicos. No entanto, sendo uma entidade de promoção da cultura científica da Região Centro, o Exploratório considera que a ciência não deve limitar-se ao espaço existente em Coimbra, mas sim alargar o seu âmbito territorial levando a ciência aos locais onde estão as pessoas. Esta abordagem tem sido concretizada nos últimos anos num conjunto de parcerias estratégicas com outras entidades locais e regionais que permitem, de forma sustentável, a realização de ações e atividades de proximidade, onde se privilegia o contacto entre cientistas e populações, levando as instituições de ensino superior e a ciência às pessoas nas suas localidades, sensibilizando-as para conteúdos científicos e promovendo assim a sua cultura e literacia científica.

Proximidade e Igualdade são assim os conceitos em que o Exploratório baseia a sua abordagem. A par destes, destaca-se a Inovação, traduzida numa constante atualização de ofertas, conteúdos, atividades e projetos, que colocam a instituição a par com as suas congéneres internacionais.

História

Criado em 1995, o Exploratório conta já com duas décadas e meia de vida ao serviço da divulgação e promoção da ciência junto de diversos públicos. Conheça aqui um pouco da nossa história e dos principais momentos que nos marcaram!

199319951997199920012003200520072009201120132015
1992
Constituição do Centro de Iniciação Científica da Universidade de Coimbra (UC), unidade já extinta que foi o "embrião" do atual centro de ciência
1993
Exposição interativa de Ciência no Colégio das Artes da UC

1994
Exposição interativa de Ciência no átrio da Casa Municipal da Cultura de Coimbra, no âmbito do programa "Viva a Ciência 94"
1995
O Exploratório abre portas, na Casa Municipal da Cultura de Coimbra, com uma exposição interativa de Ciência no âmbito do programa "Viva a Ciência"

É oficialmente criada a Associação Exploratório Infante D. Henrique

Inauguração oficial do Exploratório e da exposição permanente, durante a Semana da Ciência e Cultura Científica, na Casa Municipal da Cultura de Coimbra

1996
Criação do programa nacional Ciência Viva
1997
Inauguração da exposição de brinquedos científicos

O ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, visita o Exploratório. Celebra-se o visitante nº 50.000

Participação na Mostra do Programa Galileu
1998
Exploratório integra a Rede Nacional de Centros Ciência Viva
2000
O ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, preside à inauguração do espaço exterior do Exploratório, no Jardim de Santa Cruz

Associação Exploratório Infante D. Henrique é declarada Instituição de Utilidade Pública
2004
Inauguração da exposição "Sentir.com - a comunicação e os 5 sentidos", no Pavilhão Centro de Portugal

2005
Inauguração de vários espaços dedicados a temas científicos no Parque Verde do mondego (cubos)

2009
Inauguração das novas instalações do Exploratório, no Parque Verde do Mondego

2010
Aprovação do projeto Mais Centro/QREN II fase Exploratório Ciência Viva
2014
Inauguração da exposição temporária ExpoAnimália
2015
Inauguração do novo edifício com a exposição "Em forma com a Ciência" e o Hemispherium
199219941996199820002002200420062008201020122014